Nikola Tesla Time

Minhas Invenções, a autobiografia de Nikola Tesla

O nome Tesla está cada vez mais popular devido à empresa de motores e baterias referência no setor de carros elétricos.

Mas poucos conhecem a história do grandioso por trás deste nome e da sua contribuição para a ciência, sem a qual a nossa sociedade seria completamente diferente.

Afinal, é graças a ele que temos energia elétrica sendo produzida e transmitida a longas distâncias.

E não, não estamos falando do homem de ferro do mundo real, o empresário (e visionário) Elon Musk.

Estamos falando de Nikola Tesla, o cientista sérvio responsável por grande parte do desenvolvimento tecnológico da Segunda Revolução Industrial.

Mas afinal, quem foi Nikola Tesla?

O que a história diz sobre Nikola Tesla?

O despontar de um gênio

Nikola Tesla nasceu na cidade de Smiljan, no antigo Império Austríaco (hoje Croácia), em julho de 1856. Estudou Engenharia Elétrica na Politécnica Austríaca, em Graz, e também na Universidade de Praga.

E mesmo com sua inteligência fora de série, não foi capaz de se formar em nenhuma dessas duas universidades.

Durante esse período, Tesla enfrentou vários dramas pessoais, como a perda da maior parte do seu dinheiro em jogos de azar e a morte do seu pai.

Nikola Tesla

Depois de trabalhar em uma companhia telegráfica em Budapeste e conceber suas primeiras ideias sobre campos magnéticos rotativos e motores de indução.

Tesla se mudou para Paris em 1882 para trabalhar na Companhia Continental Edison, onde chamou a atenção do seu supervisor, Charles Batchelor.

Um divisor de águas: a ida aos Estados Unidos

 

Batchelor foi o responsável pela transferência de Tesla para uma unidade da companhia Edson em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

 

Tesla não sairia do continente europeu sem antes construir seu primeiro motor de indução, em 1883.

Mas foi em terra americanas que Tesla encontrou os meios necessários, tanto tempo quanto dinheiro, para poder conceber fisicamente a maior parte das suas invenções.

 

Após trabalhar por cerca de um ano em Nova Iorque e conhecer Thomas Edison pessoalmente, Tesla decide deixar a Edison Machine Works para focar em seus próprios projetos.

Fundou a Tesla Electric Light & Manufacturing em 1885, mas foi à falência devido à falta de apoio dos investidores.

Somente em 1887 Tesla encontrou apoio financeiro para fundar sua segunda empresa, a Tesla Electric Company.

Tesla pode, nesse momento, finalizar algumas das suas primeiras invenções e aumentar ainda mais a sua vasta lista de patentes.

 

Suas invenções com corrente alternada chamaram a atenção dos investidores e da mídia, colocando-o como principal concorrente do seu antigo chefe, Thomas Edison, e seus sistemas de corrente direta.

A competição acirrada entre os dois grandes nomes da ciência moderna ficou conhecida como Guerra das Correntes e não se restringia apenas ao laboratório, mas também envolvia a popularidade dos dois inventores.

 

Edison era um rival obstinado que, apesar de não possuir a mesma qualidade técnica de Tesla, tinha grande popularidade e era capaz de depositar um grande número de patentes (mesmo não sendo o inventor).

Mas a eficiência da corrente alternada era indiscutível e Tesla, determinado.

Ele chegou até mesmo a acender lâmpadas que segurava pelas mãos, aliviando o temor do público da época em utilizar correntes alternadas e campos magnéticos.

Por favor, não façam isso em casa!!!

 

As luzes se apagam para Tesla

 

Mas a genialidade que Tesla possuía na ciência não era a mesma para os negócios. Sendo desapegado financeiramente e preocupado apenas com os fundos para as suas invenções, terminou sua vida sem riquezas ou luxos.

Vendeu a maior parte dos direitos sobre suas invenções para o investidor George Westinghouse, que juntamente com Edison levou a maior parte do crédito pelo seu trabalho.

Faleceu então em janeiro de 1943 em Nova Iorque, depois de ter moldado a tecnologia do século XX e mudado o curso da humanidade.

O que a ciência diz sobre Nikola Tesla?

 

A contribuição de Tesla para a ciência é vasta, sobretudo na área da Física de eletromagnetismo.

Não é à toa que a unidade de medida de densidade de fluxo magnético (ou “força” do campo magnético) se chama… Tesla.

As principais contribuições de Tesla são, sem sombra de dúvida, os sistemas de corrente alternada.

Ele desenvolveu o aparato necessário para transmitir energia elétrica a longas distâncias utilizando um custo muito abaixo dos sistemas de corrente contínua.

Logo, se você é capaz de ler esta matéria no seu computador ou smartphone, já sabe a quem agradecer…

A bobina mais famosa da história

Bobina de Tesla

Dentre os dispositivos mais fundamentais que Tesla criou, está uma bobina capaz de gerar altíssima tensão em altas frequências.

As aplicações para esta invenção são inúmeras, inclusive transmitir energia elétrica sem fio. Podemos então dizer que Tesla é o pai das tecnologias wireless.

O funcionamento do rádio e dos controles remotos, por exemplo, se baseiam neste mesmo princípio. E como essa bobina tão importante na história da humanidade é conhecida?

 

Sim, bobina de Tesla!

 

E claro, além de permitir a existência de todas as tecnologias sem fio atuais, as bobinas de Tesla são responsáveis por, digamos, “dar vida” ao ambiente de trabalho do cientista.

 

A relação de Tesla com a Tesla de Elon Musk

 

Os motores de indução também são criações de Tesla. Basicamente, são dispositivos que geram energia elétrica por indução através de um campo magnético variante.

E aqui, novamente, o campo de aplicações é imenso, indo desde de usinas hidrelétricas até os veículos produzidos pela empresa Elon Musk – que não tem o nome de Tesla por coincidência.

 

Muitas outras áreas da tecnologia se beneficiam do legado de Tesla até hoje, como a robótica, a ciência computacional, a balística e até mesmo as telecomunicações.

O que Nikola Tesla diz sobre Nikola Tesla?

 

O que poucos sabem é que o grande cientista deixou uma autobiografia como parte do seu legado.

Na verdade, a autobiografia consiste em uma série de seis artigos publicados na Electrical Experimenter magazine em 1919, quando Tesla tinha 63 anos.

Somente anos depois os artigos foram publicados na forma de livro por Ben Johnston. A tradução para português chegou em 2013 com uma edição publicada pela Editora Unesp.

 

O livro retrata a sua vida e trajetória segundo ele próprio, passando pela sua infância e seus primeiros esforços como inventor, até as suas principais invenções, como a bobina de Tesla.

É possível notar então como a sua educação durante a infância o levou a ter uma personalidade mais introspectiva, criando dificuldades em lidar com outras pessoas, e como isso implicava no seu processo de criação:

 

“Desde a infância fui incentivado a focar minha atenção em mim mesmo. Isto me causou muito sofrimento mas, do meu ponto de vista atual, era uma bênção disfarçada pois me ensinou o valor inestimável da introspecção na preservação da vida, assim como um meio de realização.”

 

Tesla deixa muito claro também como o seu processo de criação acontecia, e como sua mente funcionava de forma brilhante e muito à frente do seu tempo:

 

Meu método é diferente. Não me apresso em trabalho real. Quando tenho uma ideia, começo a construí-la na minha imaginação. Mudo a arquitetura, faço aprimoramentos e opero o dispositivo na minha mente. É absolutamente não-material quando ligo a turbina no meu pensamento ou no meu laboratório. Posso até mesmo notar se está desbalanceado. Os resultados são os mesmos.

 

Sua personalidade fria e desconectada do trato social também se sobressai, e podemos conhecer um pouco mais de perto como o inventor se sentia:

 

“Com o passar do tempo este vigoroso exercício mental [de controlar as próprias emoções] se tornou minha segunda natureza. No começo, meus desejos deveriam ser dominados, mas pouco a pouco o desejo e a vontade cresciam idênticos. Depois de anos de disciplina eu conquistei tamanho controle sobre mim mesmo que brincava com paixões e sentimentos que destruiriam até mesmo alguns dos homens mais fortes.”

 

Onde encontrar a autobiografia de Nikola Tesla?

 

Aqueles que dominam a língua inglesa podem acessar o livro gratuitamente e na íntegra através do site Tesla’s autobiography.Biografia Online de Tesla

A leitura pode ser feita em qualquer navegador e permite algumas configurações na exibição do texto (cor do texto, cor da página, etc), tudo para tornar a sua experiência mais agradável.

Mas é sempre bom sentir o livro entre as mãos, não é mesmo? Nem todos se adaptam fácil à leitura em monitores.

Para os amantes das versões encadernadas ou que preferem ler em Português, o livro pode ser encontrado nas livrarias Saraiva, Cultura e Amazon.

Os usuários de kindle também podem adquirir a autobiografia em formato ebook tanto em português, quanto em inglês.

Os seis artigos estão recheados de citações que nos permitem entender um pouco mais as diferentes passagens da vida de Tesla.

 

É uma leitura fluida, leve, uma verdadeira viagem para dentro da cabeça do gênio que é considerado por muitos o homem mais importante do século XX.