Projeto Carbono Zero Fernando de Noronha

Fernando de Noronha irá banir carros a combustão com Projeto Carbono Zero

O governo do Pernambuco assinou o decreto-lei que dá início à implementação do Projeto Carbono Zero em Fernando de Noronha.

A iniciativa tem como objetivo tirar de circulação da ilha os veículos movidos a combustível fóssil.

A ilha irá proibir, até 2030, os carros a combustão e permitir apenas veículos elétricos.

Para isso, a administração da ilha fechou parceria com a Renault, que cederá 6 unidades de seus carros elétricos.

Além disso, a montadora oferecerá condições especiais de pagamento para que moradores possam ter seus carros elétricos.

Saiba mais sobre o Projeto Carbono Zero a seguir!

Projeto Carbono Zero é implantado em Noronha

Carbono Zero Noronha
Imagem: Renault/Divulgação

O arquipélago de Fernando de Noronha começou, no sábado (08), a implantar o projeto Carbono Zero.

O projeto foi lançado em 2013 com meta para cumprimento em 05 anos. Porém, somente agora o governo local começa sua implantação.

No dia 08, o governador do Pernambuco, Paulo Câmara, assinou o decreto-lei que dá início à primeira fase do projeto, que regulamenta a entrada, permanência e saída de veículos movidos a eletricidade na ilha.

Além disso, o documento traz os critérios para a compra de carros elétricos por moradores de Noronha.

Em 2022, o projeto Carbono Zero entra em sua segunda fase. A partir desta data, será proibida a entrada de veículos a combustão na ilha.

A terceira fase será ainda mais severa. A partir de agosto de 2030, será proibida a permanência e a circulação de veículos elétricos em Fernando de Noronha. Mas há exceções.

Aeronaves, tratores, embarcações ou quaisquer outros veículos movidos a combustão destinados à execução de obras poderão entrar na ilha.

Fernando de Noronha conta, hoje, com uma população de quase 4 mil habitantes com 544 carros.

Para prosseguir com o Carbono Zero, a administração de Noronha irá começar a liberar autorizações para que moradores possam comprar carros elétricos.

Inicialmente serão 130 autorizações: 100 para pessoas físicas e o restante para pessoas jurídicas.

A administração irá pagar o frete dos carros elétricos até a ilha e o frete dos veículos a combustão para o continente.

Para isso, os moradores não podem ter débitos, devem estar regularizados com a administração e terem a carteirinha.

Em declaração, Guilherme Rocha, administrador da ilha, fala sobre o projeto:

“O nosso objetivo é zerar a emissão do carbono na ilha até 2030, conforme as premissas do Noronha + 20, que são regidas pela sustentabilidade em diversas áreas da gestão pública.”

Os selecionados para adquirirem os carros elétricos podem escolher o modelo e a montadora.

Fernando de Noronha recebe carros elétricos da Renault

Twizy Carbono Zero
Imagem: Renault/Divulgação

Com a proibição dos carros movidos a combustível fóssil em Noronha, a Renault fechou parceria com a ilha para o uso de seus carros elétricos.

A montadora francesa cedeu 6 modelos eletrificados à administração da ilha.

Noronha recebeu três Renault Zoe, duas unidades do compacto Twizy e um utilitário Kangoo Z.E.

Além disso, a montadora disponibilizou à ilha quatro carregadores para os carros.

Aproveitando a autorização ecológica dada a 100 moradores da ilha para a compra de carros elétricos, a montadora venderá seus veículos com condições especiais para os moradores.

Projeto Carbono Zero é realmente significado de sustentabilidade?

A implementação do Carbono Zero é um marco e um exemplo para que outras cidades brasileiras possam começar a pensar no futuro eletrificado.

Porém, será que ao abolir os carros elétricos da ilha Fernando de Noronha está se livrando totalmente do carbono?

A resposta é não. Quase toda a eletricidade gerada para a ilha é proveniente da usina termelétrica Tubarão.

Com o uso dos veículos elétricos, a demanda por eletricidade deverá aumentar bastante. Assim, a demanda por óleo diesel para o funcionamento da usina também.

Dessa forma, para que o projeto possa ser eficiente e cumprir seu propósito, a administração da ilha deverá pensar o uso de energia renovável.

De qualquer forma, a invasão dos carros elétricos na ilha já é um grande sinal de avanço. Que o Projeto Carbono Zero sirva de exemplo.