Volvo anuncia que só produzirá carros elétricos em 2019

Todos os novos modelos da montadora sueca lançados a partir de 2019 serão híbridos ou elétricos. Plano é renovar todo o catálogo para 2025.

Em julho deste ano, a Volvo causou espanto ao anunciar que os novos carros lançados a partir de 2019 serão híbridos ou exclusivamente elétricos. A montadora sueca é, portanto, a primeira entre as fabricantes tradicionais a tomar tal decisão.

Embora o planejamento seja voltar toda a atenção à tecnologia elétrica, vale ressaltar que a Volvo apenas interromperá o desenvolvimento de novos veículos movidos apenas por motores a combustão. Os híbridos seguirão como parte da nova linha da montadora. A produção de carros sem motor elétrico seguirá normalmente até o fim do ciclo de venda dos modelos. Estimativas apontam que a Volvo passará a ser exclusivamente elétrica por volta de 2025.

A mudança tem como pano de fundo a nova regulamentação europeia relativa à indústria automotiva. A partir de 2020, novos modelos não poderão exceder 95 gramas por quilômetro em emissão de CO2. Tal número dificilmente será alcançado por motores movidos apenas a combustão.

Conheça mais detalhes a respeito da radical decisão tomada pela marca.

O futuro da Volvo são os carros híbridos e elétricos

No comunicado à imprensa em que informa a decisão, o presidente da Volvo, Håkan Samuelsson, disse que a mudança leva em conta a demanda do mercado.

“Isso é para os consumidores. A demanda por carros elétricos é cada vez maior, e queremos dar uma resposta às necessidades atuais e futuras dos nossos clientes”.

Definindo a eletricidade como o núcleo para o futuro da marca, a Volvo pretende anunciar cinco novo modelos para o período de 2019 a 2021, todos exclusivamente elétricos. Desses, três serão lançados sob a bandeira da própria fabricante e os outros dois serão da Polestar, braço esportivo da montadora. Além disso, também há planos para aumentar a presença de carros híbridos no catálogo. Os detalhes, porém, só serão revelados posteriormente.

“Este anúncio marca o fim dos motores movidos exclusivamente a combustão”, disse Samuelson. “A Volvo declarou que pretende vender um milhão de carros ‘eletrificados’ até 2025, e realmente temos a intenção de atingir isso”¹.

A fabricante sueca pertence ao grupo chinês Geely Automobile Holdings, que já produz carros elétricos para o mercado do país asiático, o maior consumidor mundial de veículos desse tipo. Os novos modelos da Volvo também serão produzidos na China, mas há planos para passar a fabricá-los na Europa e eventualmente nos Estados Unidos.

A Volvo e o mercado dos híbridos: a tecnologia Twin Engine

Volvo

Atualmente, a Volvo não possui nenhum modelo exclusivamente elétrico em seu portfólio. A montadora possui, no entanto, modelos híbridos, dentre os quais o principal expoente é o XC90.

O grande destaque da marca sueca no mercado de híbridos é o T8 Twin Engine. Como o nome sugere, os carros equipados com a tecnologia contam com dois motores.
Na parte dianteira do carro há um propulsor a combustão convencional. A diferença está nas rodas traseiras, que não são impulsionadas por um eixo cardã, mas por uma bateria conectada ao eixo traseiro.

A Twin Engine está presente principalmente em modelos da série 90 (S90, V90 e XC90). Ainda segundo Samuelsson, aproximadamente 15% dos veículos vendidos dessa série são híbridos. O plano, diz o presidente, é alcançar a marca de um milhão por volta de 2025.

Para saber um pouco mais a respeito dessa tecnologia, é interessante conhecer o principal modelo híbrido da marca sueca. Eis o XC90 T8 Hybrid.

volvo na tomada

Volvo XC90 T8 Hybrid

O utilitário esportivo de luxo da série 90 é também o carro-chefe da Volvo na produção de híbridos. A primeira versão do modelo foi lançada em 2002, embora, evidentemente, não contasse com a tecnologia híbrida.

A versão T8 Hybrid do SUV foi lançada em 2016. Contando com a tecnologia Twin Engine, o motor a combustão na parte dianteira produz 320 cavalos. Já o motor elétrico, responsável pelas rodas traseiras mas localizado no centro do veículo, produz outros 86, levando o total a respeitáveis 406 cavalos.

O modelo oferece três modos distintos de direção: Pure, Hybrid e Power.

O primeiro deles, o Pure, é exclusivamente elétrico, valendo-se apenas do motor traseiro. A autonomia da bateria é de 35 quilômetros. Ou seja, não é nenhum absurdo imaginar que é possível utilizar somente o propulsor elétrico no dia-a-dia.

O Hybrid, como o próprio nome indica, faz uso dos dois motores. Os comandos são emitidos pela central eletrônica do veículo, que decide o momento ideal para acionar cada um dos propulsores. Dependendo da situação, os motores impulsionam o carro simultaneamente ou de modo alternado.

Por fim, o modo Power combina os dois motores, com tração nas quatro rodas. O intuito é permitir que o motorista possa usufruir dos 406 cavalos que tem à disposição, juntando a potência da unidade a combustão ao torque instantâneo proporcionado pela bateria.

Plataformas globais da Volvo

Outra grande inovação da Volvo e que será fundamental para os planos da fabricante no mercado de elétricos e híbridos foi a adoção de uma plataforma global para a construção dos carros. São duas alternativas: a CMA (Compact Modular Architecture, ou Arquitetura Compacta para Modulação, em tradução livre), para carros compactos e de médio porte, e a SPA (Scalable Product Architecture, ou Arquitetura Ajustável por Produtos), voltada para sedãs e SUVs. O plano, ambicioso, é substituir todos os carros do catálogo por modelos construídos com base nas duas.

Volvo carregando

Volvo Scalable Product Architecture – SPA

A SPA foi lançada em 2014, servindo como a base para o XC90. Primeiramente, o intuito é melhorar a segurança dos carros construídos a partir da plataforma.

Entre as melhorias estão uma central eletrônica altamente sofisticada, capaz de detectar possíveis colisões por meio de câmeras e radares equipados ao veículo. Os freios são acionados automaticamente para evitar pedestres ou animais. O carro possui um sistema de piloto automático, com funções que permitem seguir os carros à frente.

Itens de segurança também foram revisados e modificados ou reforçados. Os cintos de segurança contam com tecnologia inteligente, e podem apertar ou afrouxar conforme necessário.

Volvo Compact Modular Architecture – CMA

A CMA foi anunciada em 2014, mas só chegará ao mercado no dia 21 de setembro de 2017, com o lançamento do XC40. Revelado no dia 15 de setembro deste ano, o SUV compacto será o primeiro carro construído a partir da plataforma.

Contando com tecnologia compartilhada da SPA, a CMA terá acesso aos mesmos itens de segurança, motores (a combustão e elétricos) e estrutura do chassi. O intuito é oferecer aos proprietários de carros compactos as mesmas vantagens que os de utilitários esportivos possuem.

A grande novidade da CMA é permitir que vários modelos distintos de compactos sejam construídos compartilhando a mesma arquitetura, e, portanto, usufruindo das mesmas vantagens.

As duas plataformas permitiram à Volvo padronizar os motores a combustão, podendo utilizar propulsores idênticos em veículos completamente diferentes. Também serão fundamentais na transição rumo ao futuro “eletrizante” que a montadora almeja. A tecnologia Twin Engine foi desenvolvida com as duas plataformas em mente.

 

Embora seja cedo para tirar conclusões, a Volvo parece ter dado um passo decisivo para mudar convicções dentro do mercado automotivo. Agindo como a ponta-de-lança, resta agora assistir ao desenrolar da história.

Artigo escrito em colaboração com a equipe mestre em saúde masculina.

Seja o primeiro a saber das novidades!

Login/Register access is temporary disabled
Compare items
  • Total (0)
Compare
0